30 Albuns internacionais mais psicodélicos da História

Não é uma tarefa fácil eleger trinta entre as dezenas de álbuns clássicos e maravilhosos da psicodelia mundial. Essa é apenas uma lista sugestiva, mas de forma alguma definitiva. Não está organizada hierarquicamente. Lembrando que não basta ser psicodélico, tem que ter qualidade e, de preferência, ter contribuido para a história da música e do rock. Partindo do Revolver, dos Beatles, segue abaixo as sugestões da Radio Pirada. Caso queira comentar a lista, fique a vontade no espaço para os comentários.

 

THE BEATLES – REVOLVER

É o sétimo álbum dos Beatles, lançado em 5 de agosto de 1966, inicialmente no Reino Unido e em 8 de agosto nos EUA. Atingiu o primeiro lugar nas paradas de sucesso americana e inglesa. Este álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame. Considerado mais inovador do que seu antecessor (Rubber Soul, de 1965), Revolver marca a adesão oficial dos Beatles ao Psicodelismo.

CREAM – DISRAELI GEARS

Segundo álbum da banda inglesa Cream, lançado em 1967. No ranking dos 500 melhores álbuns de todos os tempos organizado pela revista Rolling Stone, o álbum Disraeli Gears aparece na posição 114. Para este álbum, o Cream chamou o produtor Felix Pappalardi, que ajudou a adicionar psicodelia ao som da banda.

JIMI HENDRIX – AXIS: BOLD AS LOVE

O segundo álbum de estúdio do The Jimi Hendrix Experience, lançado em 1967. Muitas canções do álbum foram compostas com técnicas de gravação em estúdio em mente, e eram raramente tocadas em apresentações ao vivo. Somente “Spanish Castle Magic” e “Little Wing” foram apresentadas com frequência nos shows. “Spanish Castle Magic” vem do nome de um renomado clube de jazz. “Little Wing” tornou-se uma das canções mais conhecidas de Hendrix. “Little Wing” é o nome do anjo-da-guarda de Hendrix.

QUICKSILVER MESSENGER SERVICE

Uma das primeiras bandas de música psicodélica de São Francisco dos anos 1960. Gary Duncan, um dos guitarristas, disse que eles queriam apenas gravar alguns discos, se divertirem dando shows e terem grana suficiente para comprar fumo. Com a formação estacionada, a banda dividia palcos de todos os cantos com Grateful Dead, Big Brother and the Holding Company (ainda sem Janis Joplin), Jefferson Airplane, entre outros, em uma sequência exaustiva de apresentações. Era a época do amor livre, do Verão do Amor e o início de todo o movimento hippie. Após passarem dois anos se apresentando, conseguiram um contrato com a Columbia em 1967 e no ano seguinte lançam o primeiro LP, apenas com o nome do grupo.

PINK FLOYD – PIPER AT THE GATES OF DAWN

The Piper at the Gates of Dawn é o álbum de estreia da banda britânica de rock Pink Floyd, lançado em agosto de 1967. Foi o único álbum da banda que foi feito sob a liderança de Syd Barrett. O álbum tem letras caprichosas sobre espantalhos, gnomos, bicicletas e contos de fadas, juntamente com passagens instrumentais de rock psicodélico. É considerado um dos pioneiros do art rock. O álbum foi gravado nos Abbey Road Studios, e foi distribuído em 1967,[3] chegando a ser o 6º mais vendido no Reino Unido e o 131º mais vendido nos Estados Unidos.

IRON BUTTERFLY – IN-A-GADDA-DA-VIDA

Segundo álbum de estúdio da banda Iron Butterfly, lançado em 1968. À exceção de “Termination”, todas as músicas foram escritas por Doug Ingle. O álbum foi relançado como uma versão de luxo, contendo três versões de “In-A-Gadda-Da-Vida”, uma versão de estúdio de aproximadamente 17 minutos, uma versão ao vivo com 18 minutos e outra versão de aproximadamente 3 minutos, também lançada no single. Diz a lenda que o vocalista do Iron Butterfly estava tão bêbado quando gravou a música “In the Garden of Eden“, que a faixa 6 passou a se chamar In a gadda da vida. Até hoje o álbum vendeu mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo.

NIRVANA – THE STORY OF SIMON SIMOPATH

Primeiro álbum da banda britânica de rock psicodélico Nirvana, gravado pela Island Records em 1967. As letras contam a história de vida e morte de um herói através de uma série de canções curtas. A história começa com um menino chamado Simon Simopath que sonha em ter asas. Ele não é muito popular em sua escola e após tornar-se adulto jovem (em 1999) ele vai para o trabalho em um escritório em frente a um computador. Ele sofre um colapso nervoso e o desenrolar da história começa.

THE 13TH FLOOR ELEVATORS – THE PSYCHEDELIC SOUNDS OF THE 13TH FLOOR ELEVATORS

É o álbum de estréia da banda influente de rock psicodélico e rock de garagem, 13th Floor Elevators. Foi lançado em 1966. É a primeira materialização discográfica de um som que seria aperfeiçoado por dezenas de grupos nos anos seguintes. O tema que lhes lançou a carreira, “You’re Gonna Miss Me”, revela influências britânicas, mas Tommy Hall desenvolveu o álbum rumo ao mundo novo. O estranho som que se ouve ao longo do álbum é a sua caneca amplificada.

THE SOFT MACHINE

Foi uma banda do Reino Unido pioneira de rock psicodélico e jazz de Cantuária, Inglaterra. O nome foi originado do livro de mesmo nome de William S. Burroughs. Foi uma das principais bandas do movimento musical Canterbury. Em 1967, após retorno de uma apresentação na França, Allen, que era australiano, foi proibido de reentrar na Inglaterra, então o grupo continuou como um trio. Em 1968 eles realizaram turnê pelos Estados Unidos, abrindo para a Jimi Hendrix Experience. Durante essa turnê ele gravaram seu primeiro álbum, em Nova Iorque. Após a saída de Ayer, no final da mesma turnê, o Soft Machine refez a formação com a inclusão de Hugh Hopper no baixo. Gravaram o segundo álbum em 1969.

TRAFFIC – TRAFFIC

Banda de rock de Birmingham, Inglaterra, formada no início de 1967 por Steve Winwood, Jim Capaldi, Chris Wood e Dave Mason. O som distinto da banda, suas gravações inovadoras e a escrita compartilhada de letras influenciaram vários outros grupos de rock progressivo no final da década de 1960 e início da década de 1970.

LOVE – FOREVER CHANGES

Foi o terceiro álbum da banda de rock americana Love. Gravado pela Elektra Records em novembro de 1967, este álbum foi o último com a banda em sua formação original, com os álbuns subsequentes sendo criados pelo líder Arthur Lee junto com uma variedade de novos músicos. Forever Changes não obteve sucesso comercial em 1967; mas, posteriormente, foi reconhecido como um dos mais importantes álbuns, estando na posição 40 na Lista de 2003 da Revista Rolling Stone dos 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos.

JEFFERSON AIRPLANE – SURREALISTIC PILLOW

É o segundo álbum de estúdio da banda estadunidense de rock psicodélico, lançado em fevereiro de 1967. Tendo sido gravado em poucas semanas do final de 1966. Foi o primeiro álbum de sucesso da banda, anunciando ao mundo a cena ativa em São Francisco que havia começado com o The Beats na década anterior, e que já era ouvida em álbuns de bandas contemporâneas como Quicksilver Messenger Service e Grateful Dead. O álbum recebeu disco de ouro nos Estados Unidos em 24 de julho de 1967, ocupando posições de topo da parada.

APHRODITE’S CHILD – 666

É um álbum duplo de rock psicodélico / progressivo, gravado em 1972. Consiste em uma adaptação de passagens bíblicas do Apocalipse. O álbum foi muito criticado. Este foi o último álbum da banda devido a brigas internas e com a gravadora durante as sessões de gravação do disco.

COUNTRY JOE & THE FISH – ELECTRIC MUSIC FOR THE MIND AND BODY

Primeiro álbum da banda, foi lançado em maio de 1967. Um dos primeiros álbuns psicodélicos da safra de São Francisco. Teve uma versão da canção “Love” tocada no Festival de Woodstock em 1969.

THE PRETTY THINGS – SF SORROW

O quarto álbum de estúdio lançado em 1968 da banda britânica The Pretty Things. Um dos primeiros álbuns conceituais do rock, S.F. Sorrow foi baseado em um conto do vocalista-guitarrista Phil May. O álbum é estruturado como um ciclo musical, contando a história do protagonista, Sebastian F. Sorrow, e suas experiências de amor, guerra, tragédia, loucura e a desilusão da velhice.

THE FRATERNAL ORDER OF ALL – GREETINGS FROM THE PLANET LOVE

 

THE ROLLING STONES – THEIR SATANIC MAJESTIES REQUEST

É o oitavo álbum de estúdio na discografia americana e o sexto na discografia inglesa da banda The Rolling Stones, lançado pela Gravadora Decca em 8 de novembro de 1967 no Reino Unido e no dia seguinte nos EUA. A partir deste, todos os álbuns de estúdio da banda viriam a ter uma única versão para o mundo todo. Seu título é uma brincadeira com o texto que aparece dentro dos passaportes britânicos: “Her Britannic Majesty requests and requires…”, e também em algumas caixas de Whisky produzido no Reino Unido. O disco foi editado na África do Sul com o título de The Stones are Rolling por causa da palavra “Satanic”.

H.P.LOVECRAFT

Álbum de estréia da banda de rock psicodélico americana H.P.Lovecraft. Gravado em outubro de 1967 por Philips Records. Inspirado em contos literários de horror do escritor H.P.Lovecraft.

TY SEGALL – GOODBYE BREAD

THE DOORS

CAPTAIN BEEFHEART – TROUT MASK REPLICA

GRATEFUL DEAD – ANTHEM OF THE SUN

BLUE CHEER – VINCEBUS ERUPTUM

JULY – DEBUT

TAME IMPALA – CURRENTS

CARAVAN – IN THE LAND OF THE GREY AND PINK

FRANK ZAPPA – FREAK OUT

WHITE NOISE – AN ELECTRIC STORM

SNAKEFINGER – GREENER POSTURES

THE UNITED STATES OF AMERICA

350 comentários para 30 Albuns internacionais mais psicodélicos da História

Deixe um comentário!

Você pode usar atributos em HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>